top of page
Buscar
  • Foto do escritorBianca Gulim

O que os editores não contam para você, escritor

Atualizado: 11 de jan.

Você já ouviu que escrever um livro é fácil? Que dá pra fazer rapidinho?


Se você está chocado, ponto pra você. Mas vou chocá-lo mais: muitos livros do mercado alternativo foram escritos – do rascunho ao original finalizado – em um, dois, três meses; foram escritos por escritores que nunca fizeram um curso voltado pra área, nunca leram um livro de autoajuda profissional, simplesmente decidiram escrever um livro, se sentaram e escreveram; por escritores que não revisam seus originais uma vez sequer, que digitam o último ponto-final e consideram o original pronto.




Vou cumprir com minha obrigação: é possível que um escritor com esse perfil escreva um livro de qualidade, seja ela literária ou comercial, ou ambas? É. Há gênios por aí. Mas, olha, eles são bem raros, viu? A chance de você ou eu ser um deles é muito baixa. Então vamos trabalhar com a regra, e não a exceção, tá?


Escritor, eu vou dar uma dica de ouro pra você. Ela pode até soar generalizada, mas eu tenho certeza de que se levá-la em consideração será o melhor para você. Lá vai…


Se escrever estiver sendo fácil e/ou rápido pra você, muito provavelmente você não está escrevendo bons originais.


Escrever bons originais é muito difícil. E quando o editor escuta frases como “Eu escrevi meu livro rapidinho” e “É um dom natural, as coisas simplesmente vêm pra mim”, ele já espera um original sem qualidade. E é batata!


Pense só no processo de revisão. Depois de se dedicar meses, anos para o rascunho, vem o processo de revisão, que é mais trabalhoso ainda. Ler, ler, ler, ler, ler o mesmo texto é um saco! Tem escritor que até pega ranço da história, começa a achar que está tudo chato – e está mesmo, pra ele, pois ninguém quer ler o mesmo texto quinze vezes, muito menos um texto seu. Só essa etapa é difícil pra caramba e leva um baita tempo.


Imagine só o processo toooooooooodo: preparação para ser um escritor – estudo: cursos, vídeos, textos, livros de autoajuda, network, conhecimento de mercado etc. –, planejamento do livro – determinação de objetivos e estratégias, criação e análise de todos os elementos de um romance etc. –, escrita do rascunho – execução de narrativa, voz do narrador, estilo, linguagem, ritmo da trama, construção de personagens, diálogos, produção textual, gramática básica etc. –, revisões do rascunho, compartilhamento da primeira versão do original com leitores betas, análise de feedbacks, revisões na primeira versão do original…


Cara, me cansei só de pensar, e você deve ter cansado só de ler. E eu só resumi, juro! É muito mais difícil do que parece; cada tema mencionado ainda é destrinchado em outros temas, que são destrinchados em outros temas… – pense só em tudo que está envolvido em “determinação de objetivos e estratégias” ou “construção de personagens”.


Como é que esse processo tão doloroso e penoso é fácil e rápido pra alguns escritores? Sério, se está fácil e/ou rápido, provavelmente você não está fazendo bem-feito.


E se você quiser insistir na ideia de continuar escrevendo livros rapidinho, na maior facilidade, pelo menos não saia falando isso por aí, porque o seu editor pode até responder um “Ah” ou “Entendi”, mas o que ele está pensando é que vai ter que reservar bastante tempo da agenda dele para o seu cronograma, porque a edição do seu original vai dar um trabalhão.


E você, está escrevendo seus livros rapidinho?


Até a próxima!


26 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

コメント


bottom of page